sábado, 29 de novembro de 2014

Projeto social Overdose Literária - AUTOR ADOTADO!

Projeto social Overdose Literária - AUTOR ADOTADO! 

Vamos falar de solidariedade? Vivemos em um mundo que com o dia a dia, a rotina, nossos problemas pessoais, acabamos esquecendo de viver em comunhão com os outros e ajudar! Aqui no Overdose Literária sempre tento ajudar o que posso dentro na nossa Literatura Nacional. Conversando com nossos 55 autores parceiros um tema central sempre surge, que é a dificuldade de publicação de livros aqui no Brasil! Como é caro, como é difícil, como as editoras cobram quase ou mais de dez mil para publicar um livro, ou se for publicado independentemente gastam isso ou muito mais. 

A questão é que recebi uma proposta, que gostei muito, e que posso usar o blog como ferramente de divulgação desse projeto, que seria o projeto AUTOR ADOTADO! E essa postagem é para ver como e se essa ideia seria bem aceita no nosso cantinho!

O Autor adotado, seria um autor com a obra pronta, mas sem a oportunidade para um lançamento no formato físico, durante dois meses ele receberia doações via deposito para ajudar a publicação do mesmo. 
Pensamos na quantia de dez reais como se fosse uma rifa. A pessoa deposita dez reais, ajuda esse projeto, ganha um número e concorre a um KINDLE - Um leitor digital (que seria doado pelo próprio autor que está sendo ajudado!)! 

Então é isso! Gostaria de saber a opinião dos meus leitores e autores do Overdose! A minha intensão se der certo essa primeira tentativa é ajudar novos autores ao longo do ano! Gostaria de saber o que acham! Se vale abraçar esse projeto? Vocês gostariam de ajudar? Gostaram do premio? Sugestões e criticas! 

Paula Juliana

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Semana Especial: Juliana Daglio - Uma Canção para a Libélula

Semana Especial: Juliana Daglio - Uma Canção para a Libélula


Entrevistando meus Autores - O Prazer da Literatura Nacional!

Entrevista Blog Overdose Literária:

Autora: Juliana Daglio



“Uma Canção para a Libélula”

O. L. - Oi Querida Autora! Conte aos leitores como surgiu a sua história como escritora e suas expectativas com a publicação.
Autora: Desde pequena tenho uma paixão absurda pelos livros, mas o desejo de escrever ficou bem intenso na adolescência, quando eu ficava rascunhando em agendas e contando histórias ao meu irmão. Na minha mente, essas cenas e personagens passavam e repassavam, e às vezes me deixavam louca! Hoje eu aceito meus amigos imaginários e os transformo em palavras.
Minha expectativa continua a mesma: mudar algo para o bem. Nem que seja na vida de uma pessoa, mas se eu puder fazer as pessoas refletirem e se sentirem acolhidas em seus sofrimentos, terei cumprido minha missão.

O. L. - Como surgiu a ideia de escrever o livro? Quanto tempo levou mais ou menos para escrever?
Autora: “Uma Canção para a Libélula” começou a ser escrito em 2009 depois de um sonho misterioso e inspirador que eu tive. No meu coração eu tinha o desejo de escrever algo que pudesse mudar algo na vida de alguém, gerar algo diferente, então escolhi um tema que havia muito tempo estava presente em minha vida e de minha família: a depressão.
Levei três anos para escrever, mais um para reescrever e um procurando por uma editora. Posso dizer que esse livro sofreu muitas mudanças, e que eu creio que houve uma luz divina que ficou aguardando o momento certo, quando ele estivesse pronto para o público, para me enviar a editora certa.

O. L. - O que você anda lendo no momento e qual é o seu gênero de leitura preferido? Algum autor preferido?
Autora: Atualmente estou lendo o Romance Belo Desastre, famoso best seller do New York Times. Não estou gostando muito da leitura, mas não quero arrumar briga com as fãs! hauHAUha 
Desse livro vou para “A Rainha dos Condenados” da Anne Rice, que eu tenho certeza que vou amar! Lestat é meu primeiro amor.
Meu gênero preferido é difícil de definir. Adoro suspenses que mexem com o psicológico, sobrenatural, fantasia, romances e... EU GOSTO DE LIVROS! Meu autor preferido é Markus Zusak, pois ele escreveu meu livro favorito de todos os tempos: A Menina que Roubava Livros. Contudo, se eu tiver que escolher um autor favorito por quantidade de livros geniais, fico com Carlos Ruíz Zafón. Esse espanhol magnifico dispensa comentários.

O. L. - Tem algum lugar onde você tem mais inspiração para escrever?
Autora: Lugar não, mas tem um horário. Escrevo nas madrugadas. Ter que trabalhar as oito da manhã é uma tristeza em tempos de inspiração.

O. L. - Fale um pouco sobre as dificuldades de publicação.
Autora: As pessoas estão cada vez lendo mais. Isso é perfeito, que continue assim. Porém o grande consumo é de livros internacionais. Minha percepção de dificuldades do escritor brasileiro, é que as editoras nos abrem muito pouco as portas, pois preferem investir nos gringos, que são venda certa. O brasileiro precisa lutar muito para ganhar seu espaço por aqui.
Entretanto, estão surgindo editoras que nos valorizam e investem em nós. Isso é ótimo e gratificante.

O. L. - Quais conselhos você daria para os que sonham em escrever um livro?
Autora: LEIA LEIA LEIA! Leia até doer os olhos e leia de tudo.
Seja sempre humilde, mas confie em si mesmo. Se você não gostar do que está escrevendo, quem vai gostar? Mas cuidado com a onipotência que se sente ao ser dono de uma história. Ela pode não estar pronta ainda, mas estará. É só ter paciência.
E não desista! Nunca desacredite do seu sonho. Há um tempo para as coisas e o seu está chegando. Pedras no caminho são parte da preparação do escritor, então preste atenção nelas.
Todos nós temos um potencial criativo enorme, e só deixe o seu fluir.

O. L. - Você acha que a Internet e os blogs literários têm um papel importante na divulgação dos livros nacionais?
Autora: Caramba, muito! Os blogs tem sido os melhores amigos do meu livro. E meus também. Me apaixono por cada parceiro que fecha comigo, e estou sempre ajudando os blogs da forma que posso, pois admiro muito o trabalho de cada um. Num país com índices como esses de educação, ver um jovem ler e resenhar livros, é tipo um milagre! E esses milagres com suas palavras na telinha da web tem sido anjos na literatura nacional.

O. L. - Como funciona a criação dos seus personagens? Eles nascem prontos ou são desvendados pouco a pouco?
Autora: Eles aparecem na minha mente e vão ganhando umas formas... Aí, eu confesso, já que alguns outros blogs já propagaram minha loucura, que eu converso com eles. Isso mesmo – em voz alta. Tipo: senta aqui, deixa eu lhe conhecer, meu querido.
Não peguem as camisas de força ainda, eu não sou louca. Só um pouquinho...
À medida que converso com eles, minha mente vai criando as características, e então, num surto, sento no computador e discorro sobre tudo que descobri sobre eles. Logo, quando vocês conhecerem a Vanessa, A Rebecca, o Vitor, Nathan... Saiba que já bati altos papos com eles.

O. L. - Eles costumam ser inspirados em pessoas reais ou são apenas frutos da sua imaginação?
Autora: Frutos da minha imaginação total! haUAHUhau
Alguns dos meus “mocinhos”, eu me inspiro fisicamente em personalidades que eu admiro. Mas isso só acontece com os protagonistas masculinos, e não me pergunte porquê. Estou descobrindo na terapia (:P). Só não vou contar em quem, pois quero que vocês imagem os rapazes na mente de vocês, sem influencias.

O. L. - Um livro que todos deveriam ler e por quê.
Autora: Essa é difícil...
Acho que todos deveriam ler A Menina que Roubava Livros... Mas é porque esse é meu livro favorito, e quando a gente fica obcecado com uma história, ela te persegue em todos os cantos, em todas as horas, e você fica com aquela sensação de que todo mundo deveria ler.
Recomendo muito!

O. L. - Muito obrigada pela entrevista e pela oportunidade de conhecermos um pouco mais sobre você. Quer deixar uma mensagem aos leitores?
Autora: Obrigada, minha querida, você tem sido uma linda nessa minha jornada. Estar aqui no Overdose Literária é uma honra.
Aos leitores, apreciando ou não o livro, saibam que sou grata a vocês por terem aberto as portas do coração para minhas libélulas encantadas. Aqueles que ainda vierem a ler, grata da mesma forma. Sintam o pedaço do meu coração que vai aí com vocês. Cada uma dessas páginas é um pedaço de mim, então vou morar dentro de vocês, e isso não tem preço.
Muito amor por vocês!!!! :*

Paula Juliana

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Entrevista Blog Overdose Literária: Autora: Joyce Xavier

Entrevistando meus Autores - O Prazer da Literatura Nacional!


Entrevista Blog Overdose Literária:
Autora: Joyce Xavier

O. L. - Oi Querida Autora! Conte aos leitores como surgiu a sua história como escritora e suas expectativas com a publicação.
Autora: Eu sempre escrevi, mas só resolvi divulgar meus textos após uma depressão. Criei uma página no Facebook e as pessoas começaram a me procurar. O meu primeiro livro foi publicado em Julho deste ano e fala basicamente da minha depressão e superação, realizei um sonho e estou feliz em ajudar outras pessoas.

O. L. - Como surgiu a ideia de escrever o livro? Quanto tempo levou mais ou menos para escrever?
Autora: O livro na verdade era muito solicitado pelos meus leitores e enviei o projeto para duas editoras, porém, só uma aceitou o projeto. Como é um livro de crônicas, não demorei muito para escrever, mas recebi a aprovação um ano depois de enviar o projeto.

O. L. - O que você anda lendo no momento e qual é o seu gênero de leitura preferido? Algum autor preferido?
Autora: No momento estou lendo o livro da minha amiga Juliana Daglio “Uma canção para a Libélula”, mas sou apaixonada por Harlan Coben, Paulo Coelho e indico o livro Natasha de Flavia Andrade.

O. L. - Tem algum lugar onde você tem mais inspiração para escrever?
Autora: Qualquer lugar é lugar... Risos!

O. L. - Fale um pouco sobre as dificuldades de publicação.
Autora: Senti muita dificuldade principalmente financeira. O escritor tem um custo muito alto para publicar seu livro e o retorno não é tão grande. Creio que o verdadeiro escritor escreve por amor, pois eu sou assim.

O. L. - Quais conselhos você daria para os que sonham em escrever um livro?
Autora: Nunca desista. Muitos falarão que você está louco e que isso não é profissão. Mera bobagem. Vejo muitos escritores que querem publicar a sua primeira obra e não conseguem, eu costumo ajuda-los sempre. O Brasil precisa nos valorizar e os escritores precisam se unir.

O. L. - Você acha que a Internet e os blogs literários têm um papel importante na divulgação dos livros nacionais?
Autora: Com certeza! Vendo muitos livros através do Facebook e a internet é um grande meio de divulgação.

O. L. - Como funciona a criação dos seus personagens? Eles nascem prontos ou são desvendados pouco a pouco?
Autora: Na verdade os meus livros publicados não têm nenhum personagem, mas já estou escrevendo dois livros: O diário dos 30 anos e A menina da saia vermelha, ambos com a publicação para 2015. No diário, eu descrevo uma mulher que aos 30 anos é uma “encalhada”, mas é cômica. A menina da saia vermelha é um romance que despertará a curiosidade do leitor. É uma descoberta nova em cada página.

O. L. - Eles costumam ser inspirados em pessoas reais ou são apenas frutos da sua imaginação?
Autora: A maioria das minhas crônicas sim, mas A menina da saia vermelha uso a ficção.

O. L. - Um livro que todos deveriam ler e por quê.
Autora: Veronika Decide Morrer. Acho que Paulo Coelho acertou quando escreveu essa personagem e muita gente um dia já pensou em se matar.

O. L. - Muito obrigada pela entrevista e pela oportunidade de conhecermos um pouco mais sobre você. Quer deixar uma mensagem aos leitores?
Autora: Bem, quero agradecer pela oportunidade de poder divulgar meu trabalho e quero agradecer principalmente todas as pessoas que me acompanham. Tenho vários leitores e a cada mensagem que recebo, vejo que preciso continuar. Os meus leitores me incentivam, eles fazem com que eu realize os meus sonhos.

Paula Juliana

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Semana Especial: Juliana Daglio - Uma Canção para a Libélula

Semana Especial: Juliana Daglio - Uma Canção para a Libélula


Resenha: Uma Canção para a Libélula - Parte I - Juliana Daglio

Classificação: 5/5 ♥ Favorito  

Sinopse - Uma Canção para a Libélula - Parte I - Juliana Daglio

Era uma comum primavera numa fazenda qualquer, mas um encontro inusitado aconteceu: a Menina e a Libélula se viram pela primeira vez. Assombrada por um medo irracional da Morte, a Menina é marcada por esse encontro para o resto de sua vida. Compõe então uma canção em seu piano, homenageando a misteriosa libélula. Os anos se passaram, Vanessa vivia em Londres e tinha a vida cercada por seu iminente sucesso como pianista, porém, algo aconteceu, mudando seu destino: Uma doença, uma viagem e um reencontro.  Vanessa precisará encarar fantasmas que sequer lembrava um dia terem assombrado sua vida, tendo de relembrar a morte do irmão e reviver seu conflito com a mãe. E mais importante e mortal, conhecer a grande antagonista de sua vida, a quem chama de Vilã Cinzenta.  De Londres a São Paulo, dos Palcos aos Lagos. “Uma canção para a Libélula” é a história de uma alma perdida e de sua busca por quebrar o casulo de sua existência, para só então compreender o sentido da própria vida. Este livro é um profundo mergulho em uma mente nebulosa, permeada por lagos obscuros e pela inusitada morte; não havendo sequer esperanças. 


''Já vi os olhos da menina brilharem, as asas da libélula refletirem discretamente as cores do arco-íris, mas nunca as duas coloridas. Se fosse um quatro, diria que o pintor guardou a melhor parte para o final e acabou ficando sem tinta. No entanto é uma imagem, e se move dentro da minha mente sem que eu tenha nenhum controle sobre ela. Não são em sonhos, nem em devaneios, eu simplesmente a vejo, num piscar de olhos, num trocar de canal na televisão, num intervalo de uma nota musical, ou me alcança quando uma rajada chata de vento vira, sem eu querer, a página do livro que eu estou lendo.''

Beleza. Inocência. Mistério. Lembranças. Solidão. Medo!

Uma história instigante, que deixa o leitor curioso do começo ao fim, uma história 
emocionante, que sabe mexer com os sentimentos dos leitores, que conduz, envolve, vai lhe levando até à beira do precipício, deixa você naquela linha entre cair e se salvar e sem mais, sem menos, te joga! Uma Canção para a Libélula, é assim... INTENSO! Avassalador, ele te conduz por meio da história da menina Vanessa, te faz passar por todos seus sentimentos, suas angustias, seus medos. Faz você entender o valor da vida!   
A autora nacional Juliana Daglio, apresenta nessa primeira parte - de duas, uma história que te fez refletir, uma canção em palavras, é quase lírico de tão bonito! 
Dizer que me envolvi com essa história é pouco!  

'' Quando você acordar, eu estarei aqui.''

Ela sentia medo! Ela, a menina de cabelos de algodão, sentia dentro do seu coraçãozinho uma sombra, uma presenta, uma angustia, que não conseguia entender! Uma menina triste. Um paisagem bonita. Um lago. Um pai amoroso, gentil, e um triste homem! Uma melancolia no ar! Melodias de piano! Asas sem cores! Asas com cores! Cores que não existem mais no mundo da triste menina! Um encontro repentino! Um rumo a seguir! Uma tragedia! Uma separação...
Tormento, angustia, música, melancolia, segredos! Um coração despedaçado pela vida. Uma alma quebrada! 
E a volta para onde tudo começou!

''A Libélula ficou ainda mais atraída pelo som vindo da menina e se aproximou. As duas ficaram se olhando por um tempo, sem censura, apenas presas entre si como os seres celestiais se prendem às preces dos mortais.
Foi aí que a cena foi registrada para sempre. Nunca se perdeu apenas estagnou-se no tempo como uma lembrança incompleta, um filme ainda não revelado, uma fotografia pela metade. Uma canção sem acordes.''

O Prólogo, começa contando uma parte do passado de Vanessa. O tão falado encontro entre a menina e a Libélula. Lá a autora mostra que o livro é forte e que veio para mexer com você, na segunda página do livro, já estava com lágrimas nos olhos e o coração muito emocionado. 

A Obra começa mesmo, no primeiro capitulo apresentando a Vanessa adulta. 24 anos, Morando em Londres. Uma pianista famosa e renomada. A presença da Tia mãezona, do Tio, de sua prima, e de um namorado. Família, fama, sucesso... Seria a vida perfeita? 

A vida dessa talentosa menina está longe de ser perfeita. Um pedido de casamento e dois quase infartos de seu pai, fazem que Vanessa tenha que voltar para o Brasil, o lugar que ela tinha fugido quando criança. 
E principalmente o passado volta para assombra-la. Ela terá que reencontrar com sua mãe!

O contexto e os acontecimentos logo dos primeiros capítulos, nos deixam perguntas!
O que aconteceu de tão terrível com essa família? O que aconteceu com Vanessa de tal forma que ela se fechou para sua própria vida? O que faria uma mãe ser vista como uma horrível inimiga?  

Cenas conectadas. Pistas. O relógio, o lago, a hora, o sangue, o piano! O que será que estão tentando contar? Estaria tudo entreligado?

'' As palavras ruins penetravam em mim, Empurram com força a tampa de um baú de sentimentos enterrados no mais profundo de minha alma.''

Vanessa é uma personagem complexa. As suas relações sociais sempre giravam em torno de não ser desagradável. Sorrisos forçados, abraços falsos, felicidade aparente. Ela preferia os livros, poucos amigos. As suas partituras. Mas jamais era grosseira. Era gentil. Amava sua Tia, que sim! Era sua verdadeira mãe de coração. Sua prima, tão brilhante e espontânea, o completo posto dela. Acreditava que quem nunca espera nada de ninguém... nunca se desaponta!

''Você tem a si mesma, e isso basta.''

Porém, Vanessa se sentia vazia, era um vazio que sempre esteve presente nela, juntamente com a presença cinza. Dominada pelo medo, reprimia suas emoções, sua tristeza, sua solidão.
Vanessa era apática, pálida para sua própria vida.

''Aquela presença era minha velha conhecida. Eu observava as pessoas felizes enquanto ela me observava. As princesas  dos livros cor-de-rosa eram assombradas pela bruxa má, rainha má, ou madrasta má. Eu tinha uma mãe má, mas ela não era minha vilã como aquelas dos livros. Era como se a vilã fosse a presença cinza, era ela quem fazia tudo acontecer... Minha vilã cinzenta.
- Foi um erro voltar aqui - pensei em voz alta.''  

A Obra aborda a Depressão. 
Essa presença silenciosa e destrutiva. As pessoas confundem a depressão com loucura, quando ela é uma doença. Uma doença que muda a pessoa, que faz elas se transformarem na sombra delas mesmas. Um fantasma do que um dia foram. Uma morte em vida!

O tema é abordado brilhantemente. Os sentimentos são palpáveis, as descrições expressivas, repletas de cargas, sentimentos, medos, segredos, fantasmas e histórias.
Ninguém tem noção do quanto uma pessoa pode guardar dentro de si mesma! 

''Quando uma dor pede para levar embora suas lembranças ruins, ela leva também a parte boa. Arranca as raízes de tudo que você lembrava ser. Foi isso que me aconteceu. A dor me levou a parte boa de minha infância, e só deixou um vazio enegrecido para trás. Eu fora feliz em minha maneira silenciosa. Uma menina quieta e sensível que compunha músicas e não sabia como desenhar as partituras tendo que aprender sozinha.''

Falando sobre os personagens!

Valéria. A mãe de sangue de Vanessa. Com certeza saudável não é! É uma doente, além do seu vício em álcool, vejo mais que doença nela, ela é egoísta, vaidosa, manipuladora, uma daquelas pessoas que trazem somente coisas ruins e pesadas para os outros ao seu redor.
Mas principalmente ela é CRUEL. E a crueldade dela machuca, choca e mexe com você quando está lendo.     

Marcos. O pai de Vanessa. Esse homem é imundado pela culpa. Marcos se culpa por ter deixado Vanessa ir embora, quando ela mais precisou dele, depois da tragedia que aconteceu com essa família, as coisas ficaram pesadas e ele teve que escolher entre ajudar a mulher ou a filha. A filha acabou indo ser criada por sua irmã. E agora Marcos tenta concertar seus erros. Depois de dois quase infartos, tenho que desabafar com vocês, que pensei que esse homem iria dar um ''treco'' durante a parte final. Foram muitas emoções pesadas, e olha! Se não infartou ali, não infarta mais! Eu gostei muito de Marcos. Ele é uma pessoa boa, Um homem gentil, que teve muito azar com seu destino e algumas más escolhas.

''Ao longo da vida nós percebemos que grande parte de nossos ideais são meros disfarces mentais, que as verdadeiras respostas estão submersas em uma camada misteriosa que separa nossa consciência de todas as verdades dolorosas.''

O LIVRO É LINDO! Ele trata de um tema pesado, mais é feito com uma sensibilidade e uma beleza que é muito difícil expressar em palavras. Um dos MELHORES livros que li esse ano. Com certeza. Acho que qualquer pessoa, mesmo que nunca tenha tido depressão, vai se identificar ou se sensibilizar em alguma parte da obra. Eu senti a angustia da personagem durante a leitura, senti seu medo, sua culpa, sua solidão. E doeu, como se fosse em mim mesma. Esse é um livro que faz você refletir sobre sua vida, mas não me deixou triste, ele me fez agradecer por tudo que eu tenho, ele me fez enxergar como temos a força e o desespero dentro de nós. A libélula e o cinza... A vilã cinzenta. Como podemos ser os grandes algoses de nós mesmos. Como o grande vilão pode estar dentro de você!  

Amei as metáforas, amei a linguagem poética, bonita, sensível. Sorri, me envolvi, chorei - chorei muito! Uma Canção para a Libélula, fala do significado da vida, do seu sentido. E de como cada pessoa tem a necessidade de encontrar o seu!   
Mais que indicado! LEIAM!

''As pessoas ficam impressionadas com os melhores.
Mas elas não sabem: eles são loucos; cheios de cicatrizes.
Eles caem, até o nada.
(...)
A vida havia ido embora de mim, enquanto isso a morte me sorria ao pé da escada. batia palmas à minha apatia.''

''Compreendi que sua alma procurava significado e não beleza.'' 




Juliana Daglio no Blog!



Paula Juliana

domingo, 23 de novembro de 2014

Parceria blog Overdose Literária com autora: Joyce Xavier!

Parceria blog Overdose Literária com autora: Joyce Xavier!

OBRAS:


Brilho da Minh'alma - Joyce Xavier


Autêntica e ousada, sem perder a sensibilidade. É assim que defino JoyceXavier, se é que ela é capaz de ser definida pelo principal instrumento de seu maior talento: as palavras. 


É difícil definir alguém que consegue transmitir sentimentos e pensamentos para o papel a ponto de nos fazer sentir que somos os personagens dos seus textos. Assim, é inevitável não se identificar com o que ela escreve, já que seus textos são exatamente o equilíbrio entre uma acidez espontânea, que transborda sua sinceridade sem censura, e a delicadeza de uma notável e surpreendente doçura, que torna a sua arte ainda mais bonita e admirável! 


A tal da Joyce Xavier é uma escritora que rabisca o que a alma vive... Ao lermos os seus escritos, sentimos não só a sua alma magnífica, mas, a nossa própria alma, devido às suas vivências e boas doses de verdade. Enfim, mergulhamos em suas reflexões, que se tornam nossas. 


O que ela escreve, muitas vezes, é o que o nosso coração sente e a nossa voz não encontrou palavras para expressar. Sou uma grande fã do seu trabalho e agradeço muito pela honra de acompanhar o seu incrível potencial, que tantas vezes me ajuda a encontrar as respostas das perguntas que a vida me faz. 


E, apesar do brilhantismo como escritora, sou ainda mais fã da essência de menina mulher, que não tem medo de dizer o que realmente pensa, que nunca hesita em ser o que realmente é. E é isso que os aguarda em “Brilho da minh’alma”.  Por Beatriz Zanzini.




A AUTORA:

Joyce Xavier, nascida no Rio de Janeiro, apaixonada por música e composições começou a escrever aos 16 anos. Criou alguns blogs pela internet, mas somente após uma depressão se entregou às redes sociais, onde criou a sua Fan Page “A tal da Joyce Xavier” em Março de 2013. Publicou seu primeiro livro em 2014 e neste mesmo ano criou a página e o projeto com o mesmo nome: Colorindo as Palavras, no qual rendeu-lhe um livro em co-autoria e no mesmo mês lançou o seu segundo livro que fala somente sobre amor: Encantos.
Entre seus planos estão a conclusão da sua faculdade de Letras e Literatura, ingressar no mercado Europeu e a continuação no caminho que lhe deu a cura e a vida: a escrita.


Recadinho da autora: '' Meus três livros por R$ 70,00 reais. Frete GRÁTIS para qualquer parte do BRASIL.

Contato joycexavier.livros@yahoo.com.br''


Paula Juliana

sábado, 22 de novembro de 2014

Resenha: Horizonte - The Soul Seekers - Livro Quatro - Alyson Noël

Resenha: Horizonte - The Soul Seekers - Livro Quatro - Alyson Noël
Classificação: 3/5 
Editora Leya - Skoob

Sinopse: Horizonte - The Soul Seekers - Livro Quatro - Alyson Noël (Sinopse contém Spoiler)
O destino os uniu – e os separou. Agora Daire e Dace enfrentam a batalha que selará seus destinos. Não pode perca o último volume da série “The soul seekers” O que você sacrificaria por amor? E para cumprir seu dever? Esse é o dilema que Daire Santos precisa enfrentar. Para provar ser digna de sua herança ancestral e honrar a linhagem de Buscadores que a precede, ela será obrigada a abrir mão da vida ao lado de seu amado Dace? Em Horizonte, último volume da série Soul Seekers, Daire e Dace se preparam para enfrentar os Richter de uma vez por todas mas, para isso, precisam descobrir o que o futuro reserva para eles. São realmente predestinados a ficarem juntos? Ou outro destino muito mais sombrio os aguarda? Nesta empreitada, Daire não pode mais contar com a preciosa orientação de sua avó, Paloma. Mas ela e Dace terão a ajuda de seus amigos, Xotichl, Auden, Lita e Axel, e dos anciãos Pé Esquerdo, Cree, Chay e Chepi. A energia da juventude e a sabedoria dos anciãos serão as melhores armas que eles terão na luta para tentar salvar os três mundos da destruição do Coiote. Sobre o autor: Alyson Noël, primeiro lugar na lista dos mais vendidos do New York Times, é autora das séries Os Imortais e Riley Bloom. Vive em Laguna Beach, Califórnia, onde trabalha em sua próxima obra. 

''O amor, Daire. O amor é mais forte do que o mal. O amor é a resposta. O amor é tudo que existe. O amor conquista. O amor cura. O amor une. Tudo de que você precisa é amor. O amor faz o mundo girar...''

Você faria tudo por amor? Coloria em risco sua própria vida? O destino dos seus amigos e família? Estaria ao lado de seu predestinado para todo e sempre? Mesmo que ele lhe mostre o seu lado mais sombrio e desumano? Em Horizonte temos o grande destino das dimensões e do mundo nas mãos da Buscadora de Almas: Daire Santos! Ela junto com seus amigos e grande amor Dace irá mostrar a força do amor!   

''Alguns vezes sinto como se nunca fosse desvendar todos os seus mistérios.''

Chegando ao fim de mais uma série!!!! Durante a semana puderam acompanhar aqui no blog minhas impressões durante a leitura dos três primeiros livros da saga. Hoje venho com a resenha do nosso grande final, com o livro Horizonte, The Soul Seekers, da autora Alyson Noël.

A resenha não vai conter spoilers, nem desse, nem de nenhum os livros da saga, quem quiser conhecer a série pode conferir minhas impressões do primeiro livro Sonhos (aqui), do segundo volume Eco (aqui) e do terceiro Místico (aqui).

Recapitulando:
''O Enredo geral:

''Daire Santos é uma menina de 16 anos que é filha de uma maquiadora de Hollywood. Ela nunca teve uma rotina certa, nunca se apegou as pessoas que passaram por sua vida, sempre de lugar em lugar, de romance em romance por todo esse grande mundo.

Porém, coisas muito estranhas começam a acontecer com ela, Daire tem visões com corvos, o tempo que para, vê pessoas brilhantes que não existem para os demais, sangue, tripas, e surtos! Será que a menina está ficando louca? Sem falar dos sonhos estranhos com dois garotos completamente idênticos que representam sentimentos totalmente diferentes. Daire não sabe o que fazer, até que um dia tudo explode e sua mãe é obrigada a fazer algo. Os médicos querem que a menina seja internada, e para não recorrer a essa medida drástica, Daire vai contar com a ajuda de sua avó, uma curandeira que vive na cidade de Encantamento, no Novo México. Ervas! Porções! Um novo rumo de vida! 

Daire vai viver com sua avó Paloma, que até então não conhecia, mãe de seu finado pai, ela mostra para Daire coisas que até então a menina achava que eram absolutas loucuras.   
Daire Santos é uma Buscadora de almas. Descendente de uma linhagem de sangue misteriosa e poderosa, que garante o equilíbrio do mundo, entre o bem e o mal, em todas as suas dimensões!''

''Ele me observa e perto, tentando determinar a diferença entre a verdade dos meus sentimentos e a ficção dos meus atos.'' 

Mocinho e vilão:
''Dace e Cade são irmãos gêmeos, mas por magia foram divididos e gerados, resultando que um deles tem sua essência totalmente boa e o outro é só sombras, completamente ruim.'' ''

''No fim, a vida equivale a pouco mais do que uma série de escolhas. Algumas grandes, algumas pequenas, mas toda ação causa uma reação - e não há dúvidas de que minhas próprias ações me trouxeram até aqui.'' 

Horizonte foi um bom livro para mim, mas ele não me surpreendeu! Confesso que esperava muito mais do final do que de fato aconteceu! Não sei como exatamente explicar para vocês, pois a história no geral foi muito boa e os personagens são queridos e carismáticos e vão deixar saudades. O que aconteceu nesse último volume, ou o que não aconteceu, foi que ocorreu o que eu já esperava, não teve uma grande surpresa, explosão, foi um fim normal, novela das oito até como diz meu irmão! Esperava mais já que os fins de todos os volumes anteriores foram ótimos!

Estava ansiosa com Horizonte, crente que nesse livro, o vilão Cade iria ter um grande destaque, iria desabrochar, e ele desabrochou, porém apareceu muito pouco, uma pena, pois as melhores tiradas, frases e partes foram com ele!

O romance entre Daire e Dace foi lindo até o fim e previsível! Gostei do destaque que Lita (amiga de Daire) teve, gostei da lição que veio com o aprendizado de Xotichl e esperava que Axel (meu personagem preferido) aparecesse mais - porém todas as vezes que apareceu roubou a cena!    

''No fim, todos os caminhos levam ao final. '' 

Horizonte termina com uma mensagem linda! Ele foi sim um bom livro de uma boa série, confesso que esperava uma surpresa maior, um final menos linear! Mas valeu a leitura da saga, assim como muitos personagens que aprendi a amar, essa turma tem um lugar no meu coração também! Termino a saga com o coração lotado de aprendizados, missões, profecias, momentos de amizade, amor e comunhão com os mundos, os animais, as dimensões e o maior ser que pode mudar destinos e mudar a si mesmo, sendo luz ou trevas, o ser humano!

'' - Não pule! - Cade exclama, meio sério, meio brincalhão. - As chances indicam que não vou salvá-la desta vez. 
- Então você também teve o sonho. - Viro-me para encará-lo. - Sempre me perguntei isso. - Meu olhar passa por ele, percebendo sua fachada perfeitamente arrumada: o smoking intacto, os sapatos recém-engraxados, o sorriso triunfante no rosto. Três mundos caíram em estado total de devastação, e ele parece tão impecável como sempre.''   

Paula Juliana

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Resenha: Da Guerra dos Mares e das Areias - Fábula sobre as marés - Pedro Veludo

Resenha: Da Guerra dos Mares e das Areias - Fábula sobre as marés - Pedro Veludo
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora Quatro cantos - Skoob

Sinopse: Da Guerra dos Mares e das Areias - Fábula sobre as marés - Pedro Veludo
Em "Da Guerra dos Mares e das Areias" Pedro Veludo conta uma fábula encantadora sobre o mecanismo das marés nos primórdios da Terra. O eterno ir e vir das ondas sobre as areias aparece como um conflito, uma batalha entre os personagens. Mas o búzio rosado propõe uma conciliação entre os barulhentos mares e as silenciosas areias. A pequena concha também sugere a Lua como mediadora do acordo de paz, ficando responsável pela regulação das marés. Murilo Silva, para ilustrar o poético texto de Veludo, embarcou nos movimentos espirais dos búzios e criou patterns para os personagens. As lindas cores da natureza, expressas nestas espirais que se multiplicam, criam uma deliciosa sensação de movimento e tridimensionalidade. "Da Guerra dos Mares e das Areias" foi especialmente criado para encantar os pequenos, mas os adultos sairão igualmente maravilhados pela obra depois de leitura compartilhada.

Imagine-se perdido em uma praia, seus pés tocando aquela areia fofo, gostosa, macia... Olhe para a frente e enxergue com os olhos do coração a magnitude e longevidade das escuras águas do mar. O doce silencio da areia, o doce som das ondas do mar. Você não tem ideia de tudo que aconteceu desde o inicio dessa história, para você sentir, se deslumbrar e sonhar apreciando essa linda e cheia de paz maré. Mas Pedro veludo veio com tudo para contar essa fábula tão cheia de sensibilidade para nós, com o livro: Da Guerra dos Mares e das Areias - Fábula sobre as marés!

Eu fico realmente encantada quando leio contos, fábulas, textos infantis, e como eles são bonitos, cheios de significados e magia. Esse é o tipo de livro que quero guardar com muito carinho para um dia ler para meus filhos. Sim, é um livro infantil, mas eu como adulta posso afirmar que ele esconde muito em suas páginas e que não existe idade ou rótulos para apreciar uma obra assim!

É um livro puro, curtinho, muito bem ilustrado. Com cores e desenhos que lembram as areias e os mares. Recebi em parceria com a Editora Quatro Cantos, o peguei  ontem e vim lendo no ônibus mesmo, estava com minha mãe, e juntas embarcamos nessa história. Uns dez minutinhos lendo, terminamos, olhamos uma para outra e exclamamos o quanto lindo é esse pequeno livro!

A obra conta a história da formação das marés, conta como a areia e o mar entraram em guerra porque cada um queria encontrar seus espaços nesse grande mundo. E no fundo, não é o que cada pessoa quer? Encontrar seu caminho? Seu lugar no mundo? E nós também não causamos guerras para isso? A areia e o mar não se aceitavam. Um era silencioso demais, outro era barulhento demais, eles não queriam ceder, não queriam aceitar um ao outro, não queriam dividir! Até que um dia alguém encontrou uma solução! Para descobrir vocês terão que entrar nessa fábula maravilhosa e viver esse dilema junto com nossos personagens!

Nessa guerra ninguém ganhava, ou perdia. Mas nós quando entramos em guerra com alguém, com algo, ou mesmo com nós mesmos somos grandes candidatos ao sofrimento. Então seja você a areia, seja um pouquinho mar também, aceite as pessoas e a si mesmo, seja um Búzio e seja a Lua. E leia essa doce história, um livro que é lindo por dentro e por fora, uma grande lição, uma fábula sensível é bonita que sabe tocar dentro do nosso coração! 




''Todos procuravam seus lugares, com harmonia, ou melhor... Quase todos.
Os mares viviam em guerra com as areias.
As areias queixavam-se que não podiam descansar, que os mares faziam muito barulho... Era aquele marulhar as ondas a toda a hora, sem parar.''



''Por seu lado, os mares reclamavam da dificuldade em conviver com o silencio das areias. Um silencio tão profundo que os deixava sempre alerta, ansiosos, aguardando um som que o quebrasse.''




Paula Juliana

Resenha: Místico - The Soul Seekers #3 - Alyson Noël

Resenha: Místico - The Soul Seekers #3 - Alyson Noël 
Classificação: 4.5/5 Favorito
Ebook cortesia Editora Leya - Skoob

Sinopse: Místico - The Soul Seekers #3 - Alyson Noël (Sinopse contém spoilers)
Depois de ser derrotada e esfaqueada por Cade Richter, seu arqui-inimigo, e quase morrer, Daire Santos volta à vida de uma maneira que jamais poderia imaginar. Ao se recuperar dos ferimentos sofridos, e ciente de que as almas de Cade e de seu irmão gêmeo Dace estão ligadas ao mesmo destino, ela é obrigada a repensar sua estratégia para acabar com os Richter.
Com a ajuda de seus amigos, a Buscadora precisa partir em mais uma jornada - desta vez, pelas várias dimensões do Mundo Mediano -, não só para impedir que os Richter coloquem em prática um novo plano para controlar Encantamento e todos os seus habitantes, mas também para salvar a alma do seu grande amor, Dace.

'' - Ok. Então, em resumo, os Richter são maus, Dace e Daire são bons, espíritos animais não são superstição, são de verdade, e há três mundos, o Mundo Inferior, o Mundo Superior, e este mundo, o mundo Mediano, e... - Lita faz uma pausa, hesitante em continuar. - E uma parte da minha alma foi roubada por meu ex-namorado, que a usou para reanimar um ancestral mosto, até que ela foi resgatada por uma serpente e encontrou seu caminho até mim outra vez?
- Em resumo - concordo, com a voz baixa e arrependida.
- Nossa. E pensar que vivi a vida toda aqui e, durante todo esse tempo. não tinha a mínima ideia do que estava realmente acontecendo.

- A maior parte das pessoas só vê o que quer ver - Paloma diz. - É só quando não pode mais se dar a esse luxo que vê o que precisa ver.''

É um fato verdadeiro como diz nossa personagem Paloma, que o ser humano só enxerga aquilo que quer ver, até que chega um certo ponto da vida que não podemos mais fugir de nós mesmos e somos obrigados a enfrentar nossa jornada. Para pessoas normais essa jornada é encontrar sua verdadeira vocação, ou se apaixonar, começar uma nova família, mas para nossa protagonista Daire Santos não é tão simples! Daire é uma Buscadora de almas no livro Místico, da série The Soul Seekers, o terceiro livro da saga da autora Alyson Noël!

A resenha não vai conter spoilers, nem desse, nem de nenhum os livros da saga, quem quiser conhecer a série mais a fundo pode conferir minhas impressões do primeiro livro Sonhos (aqui) e do segundo volume Eco (aqui).

O Enredo geral:

''Daire Santos é uma menina de 16 anos que é filha de uma maquiadora de Hollywood. Ela nunca teve uma rotina certa, nunca se apegou as pessoas que passaram por sua vida, sempre de lugar em lugar, de romance em romance por todo esse grande mundo.

Porém, coisas muito estranhas começam a acontecer com ela, Daire tem visões com corvos, o tempo que para, vê pessoas brilhantes que não existem para os demais, sangue, tripas, e surtos! Será que a menina está ficando louca? Sem falar dos sonhos estranhos com dois garotos completamente idênticos que representam sentimentos totalmente diferentes. Daire não sabe o que fazer, até que um dia tudo explode e sua mãe é obrigada a fazer algo. Os médicos querem que a menina seja internada, e para não recorrer a essa medida drástica, Daire vai contar com a ajuda de sua avó, uma curandeira que vive na cidade de Encantamento, no Novo México. Ervas! Porções! Um novo rumo de vida! 

Daire vai viver com sua avó Paloma, que até então não conhecia, mãe de seu finado pai, ela mostra para Daire coisas que até então a menina achava que eram absolutas loucuras.   
Daire Santos é uma Buscadora de almas. Descendente de uma linhagem de sangue misteriosa e poderosa, que garante o equilíbrio do mundo, entre o bem e o mal, em todas as suas dimensões!''

Mocinho e vilão:

''Dace e Cade são irmãos gêmeos, mas por magia foram divididos e gerados, resultando que um deles tem sua essência totalmente boa e o outro é só sombras, completamente ruim.''

Em Místico encontramos um vilão louco e fanático religioso. Suriel é pai de Phyre a primeira namorada do mocinho Dace, ele acredita no fim do mundo, que tem uma missão, quer matar os gêmeos por que eles são demônios segundo o que acredita, o que torna Suriel completamente perigoso. 

Cade irmão de Dace continua sendo um filho da mãe nojento, ainda espero mais dele como vilão principal da saga, mas por algum motivo não consegui odiá-lo ainda. Nesse terceiro volume Xotichl, amiga de Daire, tem um destaque maior e muito merecido. Xotichl é uma garota cega, mas que consegue ver muito mais que as pessoas que enxergam, ela tem o sexto sentido desenvolvido, a verdadeira visão, Xotichl é especial, consegue ver auras e sentir coisas. Junto com Xotichl, seu namorado Auden e sua amiga Lita, Daire precisa juntar forças para derrotar o clã do mal Richter, família paterna de Dace.

Esse terceiro livro se tornou meu favorito, ele foi muito mais ágil que os outros, a história me prendeu durante toda a obra, o romance foi lindo, tivemos muitas vitórias durante a narrativa e o fim quebrou totalmente meu coração, é sempre assim quando sentimos e pensamos como os protagonistas e se envolvemos com todos os personagens, e em uma história que narra uma guerra entre o bem e o mal é normal coisas que não gostamos acontecerem, Místico terminou de uma forma que me deixou triste, psicologicamente falando, e me deixou sem saídas, preciso urgente ler o último livro da saga.

''Enquanto o mundo Superior é povoado por benevolentes guias humanos (Axel Incluído?), e  o Mundo Inferior por benevolentes guias animais, o Mundo Mediano é povoado apenas por humanos e demônios. Embora sempre seja fácil distinguir os dois, O coiote usa muitos disfarces.''

O meu personagem preferido finalmente foi escolhido, o cargo foi ganho pelo guia Axel que ganhou meu coração logo na primeira cena que apareceu! Foi amor a primeira vista e sei que ele vai ser muito importante no livro final!

Paloma avó de Daire continua sendo uma personagem mais que especial, ela é mais que a curandeira e abuela da mocinha, ela é uma mulher forte que sofreu muito, perdeu muito e agora jogou todas as suas forças para ajudar essa neta a vencer!

Místico da autora Alyson Noël é um livro cheiro de romance, aventura, mitologia onde elementos, magia, animais, pedras, dimensões são muito mais que nossos simples olhos podem enxergar! Até agora Místico é o meu livro preferido da saga The Soul Seekers, curti, me agoniei, amei os personagens, sorri com eles, chorei com o fim e estou ansiosa para o grande final! Que venha Horizonte!

''Vou matar você - digo, meu tom de voz decidido, apenas colocando os fatos como os conheço. - Mas ainda não. Um dia, todavia, eu prometo que farei isso.
- Parece um encontro. - Ele enruga a testa, passa a língua pela borda da boca.
- O melhor que você terá.''

Paula Juliana

domingo, 16 de novembro de 2014

Resenha: Eco - The Soul Seekers - Livro Dois - Alyson Noël

Resenha: Eco - The Soul Seekers - Livro Dois - Alyson Noël
Classificação: 4/5
Ebook cortesia Editora Leya - Skoob

Sinopse: Eco - The Soul Seekers - Livro Dois - Alyson Noël
Daire Santos acabou de salvar a vida de sua avó — e sua alma. Mas há um custo. Os Richters, uma família sombria de feiticeiros, estão a solta em Lowerworld, e Daire e seu namorado, Dace, devem voltar a trabalhar juntos para encontrá-los antes que ele perturbem o equilíbrio entre o bem e o mal, e destrua não só a pequena cidade no Novo México, mas também o mundo inteiro. E enquanto o relacionamento entre Daire e Dace se aprofunda, o maligno irmão de Dace, Cade, cresce mais forte do que nunca, aumentando seu poder e forçando Daire a enfrentar a terrível profecia que juntou-os. Uma profecia que não deixará a Daire outra escolha se não a de reivindicar seu verdadeiro destino como Seeker, mas somente se ela fizer um sacrifício maior para o bem de todos.

''Esse soco no meu estomago é por todos aqueles que morreram desnecessariamente na mina. Aquelas garras puxando meus cabelos é por todos aqueles que sofreram pela minha incapacidade de sacrificar a alma de Paloma. 
Enquanto o pé que acerta repetidamente minhas costas é por meu fracasso em deixar de amar Dace.
Minha pele se parte, permitindo que rios de sangue escoem por minhas feridas, enquanto meu interior é chocalhado e triturado e meus olhos se enchem de lágrimas - embora as lágrimas não sejam por mim. São para todos que desapontei ao permitir que o amor me governasse.''

Teria muitas maneiras de começar essa resenha, mas só vem um a minha mente... gritando aqui aos quatro ventos que final foi esse? Juro! Um senhor final! Estou completamente extasiada com esse desfecho, não tem como não correr para ler o terceiro livro da saga The Soul Seekers e agradecer aos céus que a série já foi toda lançada no Brasil e que tenho todos os quatro livros comigo!

Eco é o segundo livro da série The Soul Seekers da autora Alyson Noël, apesar de ser uma continuação não se preocupem que não vou dar spoilers na resenha, nem do primeiro livro, nem desse, e aconselho a quem não gosta de saber de coisas a mais, não leiam a sinopse!

Esse livro é focado no mocinho, ele ganha um destaque bem maior e também divide a narração do livro com a mocinha. Dace é nosso protagonista, ele descobre coisas obscuras do seu passado e também sobre sua ligação com seu irmão gêmeo do mal Cade.
Relembrando um pouquinho do enredo geral, que começa no primeiro livro Sonhos, encontramos a história de Daire que vê sua vida completamente mudada e descobre que é uma Buscadora de Almas, ela se muda para uma pequena cidade no Novo México e lá encontra dois irmãos que já conhecia dos seus sonhos. Dace e Cade são irmãos gêmeos, mas por magia foram divididos e gerados, resultando que um deles tem sua essência totalmente boa e o outro é só sombras, completamente ruim.
Daire como Buscadora tem a missão de manter o equilíbrio entre o bem e o mal e entre as dimensões que o Mundo tem, sendo elas a Inferior, a Superior e a Mediana, que é no nosso plano terrestre. Nesse livro é abordado o Mundo Inferior e o Mediano.

A obra é focada nas consequências dos atos de Daire do primeiro livro, no relacionamento entre ela e Dace e no que eles podem fazer para impedir que uma profecia trágica se concretize, para isso eles querem matar o vilão Cade, irmão de Dace e que praticamente não parece nesse volume, porém está mega presente sempre como um fantasma.

Eco teve seus altos e baixos para mim, ele começou com a mesma energia de Sonhos, mas na metade deu uma decaída, ele parecia que não saia do lugar, porém a parte final me surpreendeu totalmente e fez valer cada segundo da leitura, eu seria capaz de reler ele todinho agora só por causa daquele fim, é aquela velha história, para mim só teria duas saídas, ou os mocinhos vencem e o vilão não, ou o vilão vence e os mocinhos são derrotados, porém a autora vez o impossível no fim do livro e me deixou de boca aberta.

Gostei do desenvolvimento dos secundários em Eco, gostei como a relação de Daire e sua mãe foi exaltada, Paloma a avó dela não apareceu tanto como no primeiro volume, mas quando apareceu foi muito especial, adoro as amigas de Daire, achei que a mulherada nesse livro foi muio bem, obrigada! Esperava que Cade aparecesse mais, ainda acho que ele é um vilão fraco ao todo, ou ainda não se mostrou verdadeiramente, Dace continua um doce, apesar que conhecemos um lado dele que até então não sabíamos que existia, e também descobrimos sobre o seu passado e o de sua família. Leandro é o pai dos gêmeos, é um vilão que acho que pode vir a ser o grande vilão da série, tenho esperanças quanto ao Cade, mas Leandro para mim ainda no momento é insignificante. Espero que o próximo livro os vilões ganhem espaço, agora que já está bem desenvolvida e entendida a mitologia e a parte do casal protagonista.

Não tenho ideia do rumo que a história vai tomar, como eu já pirei/gritei e deixei bem claro aqui na resenha, o fim foi incrível e totalmente aberto para muitas possibilidades na historia. The Soul Seekers é uma série boa, estou gostando muito e totalmente envolvida com seus personagens. A relação entre os animais, os guias foi terrivelmente prejudicada em Eco, seres corrompidos, o equilíbrio prejudicado, descobrimos o que são os Skinwalkers, luz e escuridão, a força do amor, o que existe e somos cegos demais para enxergar, presságios, profecias, neve... Vidente, Sombra e Sol - Deixando a escuridão ascender sob um céu que sangra fogo! 

''Você nunca pode ser doente o bastante, pobre o bastante ou ser surrada o bastante para ajudar aqueles menos afortunados que você. O único jeito de dar poder aos outros é dando poder a si mesma. Nunca se desculpe pelos dons que foram derramados sobre você. Nunca se puna por sua habilidade de amar. O amor nunca é um erro - é a epítome da graça, o maior poder de todos. É a única coisa que nos leva para fora da escuridão e para dentro da luz...''

Paula Juliana