domingo, 19 de fevereiro de 2017

[Pré-venda] A prisão do rei - Victoria Aveyard @Seguinte @ResenhaEspadadeVidro @SérieARainhaVermelha @GuardaEscarlate

[Pré-venda] A prisão do rei - Victoria Aveyard @Seguinte @ResenhaEspadadeVidro @SérieARainhaVermelha @GuardaEscarlate


A Prisão do Rei- Uma jaula silenciosa. Uma guerra lá fora. - A Rainha Vermelha # 3 - Victoria Aveyard

Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira. Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.

Resenha: Espada de Vidro - A Rainha Vemelha # 2 - Victoria Aveyard
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Seguinte

Sinopse: Espada de Vidro - A Rainha Vemelha # 2 - Victoria Aveyard
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

''Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.''

Me sinto completamente viciada nessa história, enlouquecido, tudo que conseguia pensar nesses dias que li Espada de Vidro foi em seus personagens, seu enredo, onde esse caminho todo iria me levar, e confesso para vocês que a trajetória foi incrível. Hoje como leitora não sou vermelha, nem prata, meu sangue e meu coração tem outra cor e um novo ideal. Perdoem meus devaneios, porém não tem como não entrar no clima dessa distopia fantástica escrita pela diva Victoria Aveyard e não entrar nesse jogo louco de poder, torcer ainda mais por seus personagens e temer muito as reviravoltas da trama.

Espada de Vidro foi INTENSO!
Dizer que me fez sofrer foi pouco, começamos a narrativa tão machucados e na defensiva quanto nossa mocinha Mare, depois dos eventos traumáticos do fim do primeiro volume - A Rainha Vermelha, entramos na história no ponto que terminou a obra anterior, estamos se recuperando, e ao mesmo tempo lutando essa guerra entre cores. 

Recapitulando:    

''É realmente um jogo de poderes, com muitas traições, muita manipulação, um jogo de xadrez onde os peões não são os únicos a morrer! E eu com meu humor negro e coração crítico AMEI essa história! Amei sofrer, ser manipulada, ser uma brincadeira nas mãos desses seres de sangue prateado! Nada de sangue azul aqui, a nobreza vêm em prata e seu sangue também! 

'' Os deuses ainda governam. Ainda descem das estrelas. Só não são mais gentis.''

Em uma sociedade totalmente desequilibrada, uma sociedade cruel e mortal, ''os deuses'' os seres que governam mandam e desmandam são os Prateados, eles não são como os Vermelhos, os prateados tem poderes, são os senhores de suas casas, são os governantes dessa brincadeira toda.

Nossa história se inicia em Norta. Com um povo de sangue vermelho, que trabalha para sustentar a elite prateada. Estamos em um mundo em guerra, não só pela desigualdade, é batalhas e confrontos desde muito, muito tempo. São os prateados que tem poderes, como ler mentes, controlar fogo, água, metal, e são os vermelhos que encontramos nos campos de guerra, são as pessoas de sangue vermelho que estão lá na linha de frente enfrentando a morte, sem poder ter escolha, eles nunca podem ter escolha, eles não mandam em nada!  

''Nunca sobreviveríamos ao inverno do norte; o leste é só mar; no oeste; há mais guerra; o sul é um inferno radiativo... e qualquer lugar no meio disso está lotado de prateados e agentes de segurança.''

Mare Barrow  é nossa mocinha, e é uma vermelha.
Mare não tem um ofício como sua irmã, é obrigada a roubar para ajudar em casa e espera completar 18 anos para ser mandada para a guerra, assim como seus três irmãos, todos vão e ninguém volta para contar a história! 

''A guerra prateada deles é paga com sangue vermelho.''

Só que por uma sorte do destino, ou não, Mare conhece em uma situação inusitada um misterioso homem, esse homem lhe salva da guerra, e coloca Mare trabalhando diretamente com a família real em sua casa de verão, e agora Mare está vendo uma outra parte do mundo!

É durante uma disputa sangrenta de jovens de todas as casas do reino para saber quem vai ser a próxima princesa, a mais forte e poderosa próxima princesa prateada, que Mare sofre um acidente e é salva por um poder, seu poder, esse que nunca soube possuir, porém Mare é uma pessoa de sangue vermelho, VERMELHOS não possuem poderes, e quando ela mostra seu poder na frente de milhares de prateados e da família real, sua vida muda da água para o vinho. 

''O mundo mudou ao nosso redor e permanecemos os mesmos.''

Mare vira uma peça do jogo, uma peça que pode manipular toda a população vermelha que vinha se rebelando, e um instrumento nas mãos do Rei e da Rainha para que a sociedade permaneça da forma que está durante mais um longo tempo.
Mare assume o papel de uma nobre prateada de uma casa extinta, filha de um herói prateado de guerra! E futura esposa do segundo príncipe!  

Dois príncipes prateados, duas personalidades completamente diferentes e dois ideais, os dois que escondem muitos segredos que podem levar uma nação a morte e muito mais sangue a ser derramado... vermelho e prata!

''Vejo um mundo na corda bamba. Sem equilíbrio, ele cai.''

Mare é uma personagem forte, porém mesmo acreditando que nunca seria levada por esse mundo ela se mete em um jogo de gente grande, muito maior que ela, vira um peão no tabuleiro e não percebe isso. Toda a narrativa é muito boa, a autora vai dando pistas do que está acontecendo, dando pistas das verdadeira faces dos personagens e ao mesmo tempo nos engana e nos ilude, particularmente amo ser iludida por uma boa história e amo o sentimento de desespero das situações!''

Em Espada de Vidro o vilão e o mocinho estão muito bem definidos, sabemos contra quem temos que lutar e se proteger, Mare está mais forte, mais segura do seu papel na sociedade e como é importante fazer a diferença nesse momento e lutar não somente para sobreviver, e também para derrubar esse sistema doloroso e cruel.

Maven continua sendo Maven. Agora mostrando a sua verdadeira face.
Cal é e sempre foi meu príncipe preferido e não importa onde o enredo nos levar - coloco a mão no fogo por ele - entenderam o trocadinho?! Nossos príncipes, esses personagens tão dúbios e importantes são Prateados que controlam o fogo e junto com Mare e seu poder elétrico vão mexer com uma guerra de raças.
Um dos grandes objetivos desse volume é a busca de iguais como Mare, vermelhos de sangue que tenham poderes dos prateados, assim os salvar do terrível Rei, antes que ele os encontre e os mate, e juntar ajuda, toda a ajuda possível para se preparar para o grande finale.

Estou ansiosa por mais!

Espada de vidro foi uma senhora sequencia, de tirar o fôlego, de suspirar, de ter voltas e reviravoltas muito importantes e como já é de costume da autora ter muitos jogos de enganação, por muitas vezes durante a leitura personagens tiveram ações que nos surpreenderam e nos enganaram, pois as vezes nada é como parece e talvez, só talvez... os fins justifiquem os meios.
Terminei viciada e apaixonada! Na torcida e completamente histérica! Victoria Aveyard tem uma escrita envolvente e gostosa e soube criar ótimos personagens que cativam o leitor e nos fazem sofrer a cada página!
RECOMENDADÍSSIMO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário