domingo, 12 de março de 2017

Resenha: Sempre Haverá Você - Uma família, um cão, um novo começo... - Heather Butler

Resenha: Sempre Haverá Você - Uma família, um cão, um novo começo... - Heather Butler
Classificação: 4/5 
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Sempre Haverá Você - Uma família, um cão, um novo começo... - Heather Butler
A mãe do George e do Theo é genial. Ela conta histórias incríveis, acena mais rápido do que qualquer pessoa do planeta e, o mais importante, foi ela que sugeriu que eles adotassem um cachorro porcalhão chamado Goffo. Os meninos acham que ela é invencível. Mas eles estão errados. Porque a mamãe está doente. E cabe ao George e ao Theo fazer a mamãe continuar sorrindo. O que, muito provavelmente, vai envolver galochas, tortas de carne e a participação do Goffo no Concurso de Talento Animal...
Agora que a mamãe ficou doente, está cada vez mais difícil sorrir e inventar versos com o Theo. Sempre haverá você conta sobre uma família diferente da sua, mas um pouquinho parecida. E de um menino que está aprendendo algumas coisas. Você quer ser amigo dele?

''E, quando me encosto, os PENSAMENTOS RUINS se acumulam feito nuvens de chuva na minha cabeça. 

Mas a chuva é feito de pequenas flechas com pontas afiadas.

E está chovendo dentro da minha cabeça.''

Uma obra estritamente tocante e sensível. 
Quando percebi que Sempre Haverá Você seria contado pelos olhos e sentimentos de uma criança de dez anos logo me preparei, pois tinha certeza que não seria uma leitura fácil, alguma coisa iria acontecer, afinal era um drama. Partindo do início, seguindo as pistas: cachorrinho na capa, criança narrando e sinopse avisando sobre mãe doente, comecei a me preparar. E a leitura começa de uma forma tão simples, tão gostosa, contando a história de George e seu irmão Theo pelas próprias palavras carinhosas de George, um modo tão inocente de descrever, com capítulos pequenos, uma escrita simples, George deixa claro o que gosta, O QUE NÃO GOSTA mesmo no jeito que transfere para o papel e nos conta essa história. E a obra é de se desidratar! Drama, humor e amor em páginas para acabar com seu coração!

George escreve as coisas, ele tem um jeitinho próprio, destaca em negrito suas palavras preferidas e AS QUE NÃO GOSTA, escreve em letras bemmmm pequenas. Nosso pequeno conta como ama a escola, e também seu irmão menor Theo, que não é tão certinho como George, conta como detesta Carl - que adora ser irritante e mal educado. O seu jogo preferido no mundo é o que joga sozinho com sua mãe, que é a SUA pessoa PREFERIDA NO MUNDO

Conhecemos também o melhor amigo de George, o menino Dermo, aquele com quem ele divide absolutamente tudo e seu cachorrinho muito fedorento e brincalhão Goffo. E tudo estava indo bem na vida desse fofinho até sua mãe ficar doente e George não ter tantos motivos para sorrir e rimar!

''Eu digo o PIOR DOS PENSAMENTOS.

O que FICA VOLTANDO A TODA HORA.

O que EU MAIS ODEIO.

O que me assusta de verdade.

E as palavras ficam grudadas na minha garganta.

Porque elas não querem sair.''

O grande diferencial nessa obra é que todo o drama da doença dessa mãe é contada pelos olhos da criança, essa que é muito apegada a mãe, que a vê como o anjo na terra, e de uma hora para outra tem que entender o que está acontecendo na sua casa. Acompanhar os sentimentos desse menino é de cortar o coração, a forma inocente que pensa, o humor simples e sem malícia, o modo corajoso e integro que lida com a situação. Foi uma obra sensível, envolvente e apaixonante.

Sempre Haverá Você é uma leitura curta e bonita, li em um dia, é uma escrita caprichada, cheia de significados, com uma história que poderia acontecer com qualquer um, qualquer criança. Não vemos nada narrado por essa mãe, tudo que entendemos que está acontecendo é pela cabecinha de George. É SENSÍVEL. É BONITO! É EMOCIONAL E SIMPLES como os sentimentos de uma criança. Super recomendo! 

''[...] - Lagarto - eu respondo.

- E... um escorpião - ela sussurra. 

- Aracnídeo. Quatro pares de pernas, um ferrão na ponta da cauda.

- Eu amo você - ela sussurra.

- E eu amo você - sussurro em resposta.

E eu amo.

E ficamos sentados no sol.

E só por um minuto eu não divido ela com mais ninguém.

É a última vez que jogamos o jogo da visita. [...]''

Paula Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário