terça-feira, 18 de abril de 2017

Resenha: VÉU DO TEMPO - Claire R. MCDougall

Resenha: VÉU DO TEMPO - Claire R. MCDougall
Classificação: 4/5 ♥ Favorito
Editora: Jangada

Sinopse: VÉU DO TEMPO - Claire R. MCDougall
A medicação para a epilepsia mantém Maggie num estado permanente de torpor, mas não consegue aliviar sua dor por ter perdido a filha em decorrência da mesma doença. Com o fim do seu casamento e o filho mais velho num colégio interno, Maggie se muda para uma casa de campo nas ruínas de Dunadd, o local histórico que um dia foi a sede da realeza da Escócia.
Tudo muda em sua vida após uma convulsão, e Maggie desperta num vilarejo dentro dos muros da Dunadd do século VIII. Mesmo sem saber se isso é realidade ou apenas uma alucinação causada pela doença, ela é atraída pela presença de Fergus, irmão do rei e pai de Illa, uma menina que tem uma semelhança impressionante com a sua falecida filha. Mas, com as demandas do presente chamando-a de volta, conseguirá Maggie deixar para trás o príncipe escocês que já a chama de meu amor?

'' Parece que desperdiçamos a maior parte da vida tentando não morrer. Mas, no fim, a morte acontece de um jeito ou de outro. O tempo é uma medida tão inútil para quantificar qualquer coisa... O máximo que você pode dizer é que nascemos e que morremos. O que vem no meio é uma pequena pausa. Na grande expansão do universo, a pausa não é nada mais do que algumas respirações. Tentamos fazer com que isso signifique alguma coisa, acrescentando-lhe anos, mas os anos não a tornam maior. Estamos aqui, partimos. Outra coisa qualquer toma o nossa lugar.'' 

Um daqueles que te fazem sonhar! 
ROMANCE! DRAMA! PAIXÃO!
Não somente sonhar, e sim, viajar literalmente entre mundos, vivendo uma época nunca sonhada, foi com essa sensação de liberdade, amor, e ilusões que terminei com o coração na mão o que foi uma SENHORA história. Sou uma fã de obras com temáticas de viagens no tempo, muito caidinha, super de quatro, desde que conheci a série Outlander, então, quando descobri que Véu do Tempo iria resgatar meu amor pelo passado, fiquei mais que entusiasmada, logo depois, eu sonhadora que sou, fui parar novamente na Escócia minha gente, e ai sim foi PAIXÃO a primeira linha! 

Conhecemos Maggie uma mulher quebrada pela vida, após perder sua filha para os braços da morte, o termino de um casamento e a ida de seu filho para um colégio interno, a moça se vê sozinha e com o futuro aberto para um grande recomeço, ou... um grande vazio. 
Maggie sofre de epilepsia, toma fortes medicamentos que a deixam meia que anestesiada, porém a mantendo longe de crises. Com os últimos fatos ocorridos se muda para uma casa de campo em Dunadd, ruínas de um lugar histórico que um dia foi lar de realezas na Escócia. #TerraDosSonhos

''Como dormir num sonho que já acontece num sono é outra coisa sobre a qual não ponderarei por enquanto, mas, quando acordo sozinha no comodo, as velas se apagaram, e a única luz fraca vem lá de fora. ''

Com a mudança, Maggie fica menos rígida quando a tomar sua medicação e é após uma convulsão que Maggie acorda em um vilarejo em Dunadd do século VIII. Conhece Fergus um formoso homem ao qual se vê atraída, irmão do rei está sendo pressionado para encontrar uma esposa e nova mãe para sua filha, essa que tem uma semelhança enorme com a filha falecida de Maggie. Agora fica a grande pergunta: Será que isso tudo é ilusão da cabeça de Maggie? Será que Maggie está realmente vivendo isso ou seria somente fruto das crises de epilepsia? E principalmente entre o que deve ser a realidade e essa ''fantasia'', onde Maggie escolhe-rá viver? Uma paixão arrasadora ou uma realidade concreta?

'' - Bem, a epilepsia é de fato um grande mistério. Uma vez que o cérebro entra em sobremarcha, um estado de intensa atividade, não há como prever o que pode produzir.''

Esse romance foi totalmente além das minhas expectativas, esperava encontrar um simples romance histórico, e ele vai muito além, com uma riqueza de detalhes e uma sensibilidade palpável, somos transportadas a viver duas histórias ao mesmo tempo, conhecemos uma mulher, essa personagem que não tem nada de cliché, é forte, vivida, já passou por muito e está pronta para superar a dor, ou ao menos conviver com ela. 

''Não dá para evitar amar uma cidade que tem tão pouco apreço pelo comercio e é mais dedicada a jardins e castelos, e a ônibus de dois andares na cor vinho.''

Gostei demais das críticas da obra, as mulheres que são citadas, Maggie estuda a bruxaria, nos mostrar muito sobre o papel dessas mulheres, druidesas, feiticeiras, curandeiras, e as suas mortes nas fogueiras. Ela mesma quando volta no tempo em suas convulsões é chamada por ser umas dessas. 
O Romance é rápido e intenso tão bem equilibrado com as descrições da sociedade daquela época que é simplesmente uma visão incrível de se conhecer!
Adorei a escrita da autora, é muito direta e ao mesmo tempo consegue nos colocar onde quer e quando quer, curti todas as partes, tanto presente, quando passado. Véu do tempo foi uma verdadeira delicia. 

É difícil não indicar, quando a história nos arrebata desta forma, recomendo para todos os sexos, todos os amantes de um bom enredo, de personagens complexos e dramas bem pensadas e estruturadas. Véu do Tempo está entre os meus queridinhos e vai ficar por muito tempo em minha mente, uma escolha maravilhosa para quem ama a Escócia, todo o misticismo que ronda essas terras e principalmente para os fãs do mistério, da curiosidade e do romance! Uma linda obra! Leiam!

'' - Homens com seus jornais, mulheres com seus celulares, todos tentando ser alguém sozinhos, o que não é fácil, pois somos animais sociais, não importa como você encare isso, não importa que alguns de nós não se encaixem tão bem em padrões da sociedade.''

Paula Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário